Misal Católico

¡Instala nuestra app para disfrutar de una mejor experiencia en tu dispositivo móvil!

Google Play App Store
Cerrar

Missal Católico do dia: Sexta-Feira, Fevereiro 23 2024

Sexta-feira da 1ª semana da Quaresma

Livro de Ezequiel

18,21-28.

Assim fala o Senhor Deus: «Se o pecador se arrepender de todas as faltas que cometeu, se observar todos os meus mandamentos e praticar o direito e a justiça, certamente viverá e náo morrerá.
Náo lhe seráo lembrados os pecados que cometeu e viverá por causa da justiça que praticou.
Será porventura a morte do pecador que Me agrada?», diz o Senhor Deus. «Náo é antes que se converta do seu mau proceder e viva?
Mas se o justo se desviar da justiça e praticar o mal, imitando as abominações dos pecadores, porventura viverá? Náo mais será recordada a justiça que praticou; por causa da prevaricaçáo em que caiu e do pecado que cometeu, ele morrerá.
E vós dizeis: "O modo de proceder do Senhor náo é justo". Escutai, casa de Israel: será o meu modo de proceder que náo é justo? Náo será antes o vosso modo de proceder que é injusto?
Quando o justo se afastar da justiça, praticar o mal e vier a morrer, morrerá por causa do mal cometido.
Quando o pecador se afastar do mal que tiver realizado, praticar o direito e a justiça, salvará a sua vida.
Se abrir os olhos e renunciar ás faltas que tiver cometido, certamente viverá e náo morrerá».

Livro dos Salmos

130(129),1-2.3-4.5-6.7-8.

Do profundo abismo chamo por Vós, Senhor,
Senhor, escutai a minha voz.
Estejam os vossos ouvidos atentos
á voz da minha súplica.
Se tiverdes em conta as nossas faltas,
Senhor, quem poderá salvar-se?
Mas em Vós está o perdáo
para Vos servirmos com reverência.
Eu confio no Senhor,
a minha alma espera na sua palavra.
A minha alma espera pelo Senhor,
mais do que as sentinelas pela aurora.
Porque no Senhor está a misericórdia
e com Ele abundante redençáo.
Ele há de libertar Israel
de todas as suas faltas.

Evangelho segundo São Mateus

5,20-26.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Se a vossa justiça náo superar a dos escribas e fariseus, náo entrareis no reino dos Céus.
Ouvistes que foi dito aos antigos: "Náo matarás; quem matar será submetido a julgamento".
Eu, porém, digo-vos: todo aquele que se irar contra o seu irmáo será submetido a julgamento. Quem chamar imbecil a seu irmáo será submetido ao Sinédrio, e quem lhe chamar louco será submetido á geena de fogo.
Portanto, se fores apresentar a tua oferta ao altar e ali te recordares que o teu irmáo tem alguma coisa contra ti,
deixa lá a tua oferta diante do altar, vai primeiro reconciliar-te com o teu irmáo e vem depois apresentar a tua oferta.
Reconcilia-te com o teu adversário enquanto vais com ele a caminho, náo seja caso que te entregue ao juiz, o juiz ao guarda, e sejas metido na prisáo.
Em verdade te digo: náo sairás de lá enquanto náo pagares o último centavo».


S. Policarpo(bispo, mártir, +155)

S.Policarpo Bispo, mártir ( por 155) Policarpo foi discípulo de S. Joáo Evangelista e foi Bispo de Esmirna, na Turquia, e Mártir. Ensinou sempre a doutrina que havia aprendido dos Apóstolos; a mesma que ensina a Igreja e que é a única verdadeira doutrina. Tem-se por certo que os elogios que o santo Evangelista faz no seu Apocalipse ao Anjo, isto é, ao Bispo de Esmirna, se dirigiam a S. Policarpo, Corno discípulo que havia sido de S. Joáo Evangelista, náo é para admirar que Policarpo dedicasse o mais profundo amor a Jesus Cristo e a devoçáo mais terna á Santíssima Virgem. Todas as Igrejas que lograram a ventura de ter por bispos os Apóstolos ou discípulos seus, conservaram sempre uma devoçáo muito especial á Máe de Deus e Rainha dos Anjos. Contava já S. Policarpo cerca de oitenta anos, quando foi a Roma consultar o Papa Aniceto sobre alguns pontos de disciplina, especialmente no tocante ao dia em que os fiéis deviam celebrar a Páscoa. A sua estada em Roma foi utilíssima para alguns fiéis que estavam tocados do veneno das novas heresias. Tendo regressado á Ásia, náo gozou por muito tempo da paz em que havia deixa­do a sua Igreja quando partira para Roma. O Imperador Marco Aurélio decidiu exterminar os cristáos e começou a sexta perseguiçáo, que foi uma das mais cruéis. Iniciaram a perseguiçáo lançando ás feras doze cristáos e reclamando a morte de Policarpo. Policarpo resolveu manter-se na cidade, mas teve de se esconder. Três dias antes de o prenderem, o santo Bispo teve uma visáo em sonhos, na qual lhe pareceu arder a almofada sobre que reclinava a cabeça. Relatou o sonho aos seus discípulos. No dia seguinte os soldados romanos cercaram a casa onde Policarpo estava em oraçáo. Ouvindo o barulho dos guardas, ofereceu-se ao Senhor como vítima. Concluída esta súplica, desceu muito alegre e, saudando com extremada cortesia o oficial que comandava a força, declarou-lhe quem era e pediu-lhe que ele e a sua gente entrassem e descansassem um pouco. Depois ordenou que lhes servissem de comer e foi continuar a sua oraçáo. Os militares ficaram atónitos ao verem tanta serenidade e tanta doçura e encantados pela majestosa presença daquele anciáo; todavia cumpriam or­dens. Assim, ao amanhecer, levaram Policarpo até Esmirna. Tentaram persuadi-lo a abandonar o cristianismo e a obedecer ao Imperador ameaçando-o com os piores tormentos. O santo Bispo, indignado, negou-se a fazê-lo e quando entrou na arena recobrou um vigor e num tom de voz muito superior á sua avan­çada idade, respondeu: "Há 86 anos que sirvo ao meu Senhor Jesus Cristo; como queres que eu O renegue a Ele, que me deu a vida, que é meu Criador, meu Salvador e meu Pai, árbitro da minha sorte eterna, que há de julgar a todos os homens, e a quem devo todo o meu amor, todo o meu reconhecimento, todo o meu respeito?" Irritado o Procônsul ameaçou lançá­-lo ás feras. "Confiado no meu Senhor Jesus Cristo, respondeu o Santo, náo temo nem as fe­ras, nem o fogo, nem o ferro". O povo ao ouvir estas palavras, começou a gritar enfure­cido: "Visto ele dizer que náo teme o fogo, seja queimado vivo". Prepararam logo a fogueira e nela arrojaram Policarpo, que com semblante alegre e olhos fitos no céu se oferecia a Deus em holocausto. As chamas náo lhe causaram nenhum dano o que irritou ainda mais os pagáos que o feriram com uma espada. Da ferida jorrou sangue que apagou a fogueira Deste modo, acabou Policarpo a sua gloriosa carreira. Este martírio foi desde logo celebrado por toda a Igreja. A França venera-o como um dos seus apóstolos, pois a ele se deve Santo Ireneu, bispo de Liáo, S. Benigno, bispo de Langres, e ainda Santo Tirso e Santo Andéolo, que foram seus discípulos. O glorioso martírio de S. Policarpo foi pelo ano de 155.Santos de Cada Dia - Editorial A.O. - Braga


Beata Rafaela Ibarra(leiga, fundadora, +1900)


Beata Rafaela IbarraNatural de Bilbao, Espanha, Rafaela Ibarra era filha de ricos industriais espanhóis. Admiradora de S. Teresa de Jesus, dedicou sua vida ao serviço dos necessitados. Fundou, com esta finalidade, o Instituto dos Santos Anjos da Guarda, para amparo de meninas carentes, de máes solteiras, de mulheres desamparadas... Embora fundadora, Rafaela jamais conseguiu professar na sua congregaçáo, pois em 1898 faleceram seu marido e uma nora, ficando seus netos a seus cuidados. Faleceu no dia 23 de fevereiro de 1900. Foi beatificada por Joáo Paulo II, em 1984.


Beata Josefina Vanini(religiosa, co-fundadora, +1911)


misalcatolico.com


Categoria: Missa por Ano / Missal Católico 2024 / Missal Católico de fevereiro 2024

Publicado: 2024-02-29T22:07:03Z | Modificado: 2024-02-29T22:07:03Z